MIGRANDO DOS 80 PARA OS 90: BANQUETE BRITÂNICO

Lendo sobre os 25 anos do ‘Foxbase Alpha’, primeiro disco do St. Etienne (na foto), me dou conta de que a virada dos 80s pros 90s foi um ÓTIMO momento (dentre um passado de glórias) da música pop feita na Ilha da Rainha.

st.etienne

Os veteranos do synthpop oitentista ainda estavam na crista da onda – o Depeche Mode, por exemplo, lançou o ‘Violator’ em 90, o Cure lançou o ‘Disintegration’ em 89. Ambos são, muito possivelmente, os melhores álbuns dessas duas bandas. E o New Order ainda circulava por ali com gás total.

Em 89, a house music estourava na Inglaterra na sua versão acid e se tornaria o estopim da cultura rave do início dos anos 90. Rolou também a primeira leva dos que se tornariam os futuros big names da música eletrônica: Massive Attack, The Orb, 808 State.

Manchester dropava pílulas e mais pílulas com a mistura de indie e dance music dos Stone Roses e Happy Mondays. Apesar de escoceses, dá pra jogar a psicodelia do Primal Scream, via ‘Screamadelica’, nesse bolo de Manchester.

MBV

O My Bloody Valentine capitaneava a parede de guitarras da trupe shoegaze, e teve o Ride, o Lush e o Slowdive como coleguinhas de turma. E não dá para esquecer do ‘dream pop’ do Cocteau Twins.

Se cavucar mais um pouco, esbarramos no Soul II Soul e Brand New Heavies, carregando a tocha da black music inglesa.

Que banquete!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s