DOIS DISCOS MUITO, MUITO CHATOS

Jack White – ‘Lazaretto’

Ele é roots! Tem um selo que só lança em vinil! Só grava músicas em equipamento vintage e valvulado! Ele não gosta de nada digital, usa cartola e cozinha em fogão a lenha! Paciência zero pra essa pose toda de Jack White. E pra música dele também. ‘Lazaretto’ é ZZZzzzzzzzzz do início ao fim. Nada ali provoca nem um suspirinho sequer de felicidade. Nada.

jack-white-lazaretto

 

Alexis Taylor – ‘Await Barbarians’

Alexis é mais conhecido como o nerd vocalista do Hot Chip, aquela vozinha mansa que canta os refrões mais bonitos da banda e tal. Mas ô disquinho solo melê, sem pulso nem coragem, baladinha atrás de baladinha.

Pelo menos serviu para deixar claro uma coisa: agora sabemos a causa da irregularidade dos discos do Hot Chip, grupo que é espetacular nos singles e remixes, mas sempre deixou muito a desejar quanto à consistência dos álbuns. Alexis, deixa o Joe Goddard trabalhar sozinho no Hot Chip, deixa.

Alexis_Taylor_Await_Barbarians_Album_Art

LÁ VEM O CARIBOU DE NOVO

Saiu hoje o single novo do Caribou, ‘Our Love’, faixa-título do álbum novo, com lançamento marcado para outubro. ‘Our Love’  vem depois de ‘Can’t Do Without You’, descrita perfeitamente pela Fact como um ‘tears-on-the-dancefloor-moment’.

É mais uma faixa excelente de Dan Snaith, o que só faz aumentar ainda mais a expectativa pelo álbum, o primeiro desde o já clássico ‘Swim’, o melhor disco de 2010.

‘Our Love’ tem um sample com uns ecos e BPM de pista. Nas cordas, Owen Pallet, que já colaborou com Snaith (neste caso encarnado com sua persona Daphni) em ‘Julia’.

caribou-our-love

VOLTANDO A FLERTAR COM O ROYKSOPP

Depois de muito ouvir o Royksopp entre 2001 e 2006, mais ou menos, a inconsistência dos discos lançados nos anos seguintes me fizeram perder o tesão pela banda.

Só voltei a flertar com os noruegueses esse ano, depois do showzaço que vi no Sónar, dessa vez junto com a Robyn nos vocais.

O mais recente single deles, lançado essa semana, fez o flerte virar romance quente: ‘Monument’ é lenta, linda, triste e tem um clipe espetacular. Faz parte de um EP que ainda tem as ótimas ‘Do it again’ e ‘Running to the sea’.

Foi a trilha absoluta da semana, tomei uma dose todos os dias. Abaixo vai a original e um remix excelente do Mark E, perfeita para causar aquele climão na pista.

royksopp

TRÊS ÁLBUNS DE HIP-HOP EM ALTA ROTAÇÃO

1) CLIPPING – ‘clippng’

A junção de um rapper, dois produtores e a Sub Pop fazem deste um disco ousadíssimo – produção nervosa, meio suja. Mais inclinada para os climas tensos do que para os black grooves. ‘Work, work’ e ‘Body and blood’ são os destaques. Estão aí embaixo.

clipping-clppng-2500px

 

2) SHABAZZ PALACES – ‘Lese Majesty’

Este disco tem ‘cara de futuro’ por conta da altíssima criatividade na criação das batidas e no uso de samples. O Shabbaz Palaces é liderado por Ishmael Butler, ex-Digable Planets. Meio cheio de interlúdios demais (pra quê, meu Deus, pra quê?), o que deixa tudo meio cansativo ao fim. Mas não deixe essa besteira te atrapalhar.

shabazz-palaces-lese-majesty

 

3) THE ROOTS – ‘And then you shoot your cousin’

Veteranaços e excelentes músicos, fizeram um álbum conceitual, bem denso, com muitos samples e falatório na medida. O disco é todo bom, mas ‘The Dark’ é espetacular. A melodia do piano é linda de doer, e a batida seca e arrastada lembrou muita coisa de trip-hop. Sem o rap em cima da batida, ‘The Dark’ poderia estar em qualquer disco do Portishead, por exemplo.

the-roots-and-then-you-shoot-your-cousin-cover-art