E A BETH GIBBONS, DO PORTISHEAD, CANTANDO BLACK SABBATH?

 

É isso mesmo que você leu.

Anúncios

JAMIE XX – ‘SLEEP SOUND’

Saiu o clipe da música nova do Jamie XX, ‘Sleep Sound’. O produtor até que demorou a mostrar material novo, seu último single foi ‘Far Nearer’, de 2011.

A história da ideia para o vídeo veio da artista Sofia Matiolli, e o resultado é de uma beleza… O clipe consiste em pessoas surdas dançando à medida que sentem apenas as vibrações causadas pelas batidas e graves da música. É muito, muito emocionante.

Abaixo vai a explicação de como tudo aconteceu.

“I was on a train listening to music, getting deep into it, and this girl started staring at me. After a while I took my headphones off and she came up to me, started signing and then wrote me a note to say that she was deaf but could almost feel the music by my movement.”

With the germ of an idea from this chance encounter, Mattioli was asked to create a video for the member of The xx and Grammy-winning producer of Alicia Keys, Gil Scott-Heron and Drake. During the course of one day, she danced with 13 members of the Manchester Deaf Centre with ages ranging from five to 27 years old, who responded to the movement of the artist and the vibrations in the air given off by the song.

“The relationship between silence and music is a big part of what I am trying to express with my work,” says Mattioli. “The first kid in the video, Archie, was bliss—all of them were amazing. I hope this is a project I can develop further.”

 

Clica na foto para assistir ao clipe.

jamiexx

 

 

QUE MERDA, FRANKIE KNUCKLES!

Morreu ontem Frankie Knuckles, aos 59 anos. A dance music fica mais triste sem os beats do mestre que moldou, que deu forma – direto da Warehouse, em Chicago – ao que ficou mais tarde ficou conhecido como house music. De novo: moldou o que é hoje a house music. Só isso.

Tive dois momentos com Knuckles, ambos em festivais realizados aqui: Tim Festival 2005 e SWU 2011. No primeiro, tocou já em altas madrugadas. No segundo, era início de noite e chovia muito quando subiu ao palco.

Foram dois sets muito diferentes: no Tim, mais groove, mais vocal diva, house clássico hedonista sem medo de ser feliz. No SWU, talvez por ter percebido que estava no meio de um festival de rock, pegou um pouco mais pesado, mais grave, e segurou o público no pancadão. Coisa de quem tem muita estrada, muita bagagem, e sabe exatamente o que fazer com duas pick-ups na mão.

Duas recentes aparições de Knuckles foram numa entrevista para a Fact e num set para o Boiler Room, os dois linkados aí embaixo. Enjoy.

FRANKIE KNUCKLES-2008 123