GUI BORATTO MEXE COM O MASSIVE ATTACK

Que o Boratto já é do primeiro time da dance music é notícia velha. Anyway, é preciso ter guts para remixar o Massive Attack. Tal missão foi dada ao produtor brasileiro, que a cumpriu fodasticamente. Injetou groove 4 x 4 na melodia sombria-chique da original, num resultado perfeito, perfeito, perfeito.

A música é ‘Paradise Circus’, aquela do clipe pornô com a voz maravilhosa da Hope Sandoval, ex-dona do Mazzy Star (quem ouviu indie rock nos anos 90 levanta a mão!).

Já tá louco para baixar a música, né? Então, tem de graça e legal no site da RCRD LBL. Beijo.

CALDEIRÃO

A dica é do comparsa Cid Andrade. Vou até reproduzir o texto sobre o Die Antwoord:

“Um Sol de rachar, guetos bem pobres e outros de classe média-baixa, tecnologia na base do improviso e do “vâmu tentar fazer alguma coisa com o pouco que a gente tem” e um caldeirão étnico de muitas cores misturadas e mil e uma influências culturais a serem re-processadas à moda local. Eu poderia muito bem estar descrevendo os fatores que possibilitaram o surgimento do funk carioca na segunda metade dos anos 80, mas na verdade estou traçando as origens do zef rap-rave, estilo musical Sul Africano de certa forma primo do nosso funkão. Musicalmente é batidão, rap cantado numa mistura (quase) ininteligível de inglês com afrikander, timbres de música eletrônica européia, suingue rasteiro de Miami Bass. Esteticamente é uma coisa meio Mad Max, meio anos 80 e 90, meio cyberbunk.”

O pancadão é bizarro, tudo muito estranho e incômodo. Mas eu duvido MESMO é vc entender o sotaque do malandro: